Tendências Portugal

Publicações relacionadas com a investigação realizada na área da utilização das TIC na escola em Portugal.

 

COSTA, Fernando (2007). Tendências e práticas de investigação na área das Tecnologias em em Portugal. In A. Estrela (Ed.). Investigação em Educação. Teorias e Práticas (1960-2005). Lisboa: Educa & Ui&dCE. 169-224. 

O uso de tecnologias para apoio à transferência de informação e aquisição de conhecimentos em contexto educativo tem sido, como se sabe, uma prática mil vezes ensaiada desde que a Escola se constitui como principal fonte estruturada de transmissão do saber de gerações para gerações. Muito embora sejam objectivamente desoladores os resultados concretos em termos de adopção e generalização das diferentes tecnologias experimentadas, à excepção de algumas que resistiram ao tempo, como o manual escolar ou o já ancestral quadro preto, é cada vez maior o interesse por este domínio de investigação, nomeadamente desde que o computador pessoal se tornou uma realidade, há pouco mais de duas décadas.

Reconhecendo a importância que a investigação científica pode ter em termos de fundamentação, orientação e avaliação das práticas de uso das tecnologias em contexto escolar, ou mesmo para afirmação e reconhecimento, pela comunidade científica (e não só), de uma área tão recente como a das Tecnologias Educativas, propõe-se aqui uma breve análise do que a esse nível se passou em Portugal no período tomado como referência, isto é, nos últimos quarenta e cinco anos.

Compreender em que medida, aos ensaios e experimentações no terreno terá correspondido o equivalente estudo e reflexão sistemáticos e, a existirem, quais os principais períodos, as problemáticas estudadas e os respectivos quadros teóricos, são alguns dos propósitos que nortearam a análise que aqui apresentamos. Uma análise exploratória e de âmbito limitado, mas que, esperamos, possa contribuir para um conhecimento mais profundo das práticas de investigação neste domínio particular das Ciências da em Portugal.

Trabalho desenvolvido como base da minha intervenção em Mesa Redonda do XIV Colóquio da AFIRSE, subordinado ao tema “Para um Balanço da Investigação em de 1960 a 2005. Teorias e Práticas”, Faculdade de Psicologia e de Ciências da da Universidade de Lisboa.