Os professores e as TIC

Livro

COSTA, Fernando; RODRIGUEZ, Carla; CRUZ, Elisabete & FRADÃO, Sandra (2012). Repensar as TIC na Educação. O Professor como Agente Transformador. Lisboa: Santillana.

O professor como agente transformador é a pedra de toque da visão e da estratégia que aqui se partilham para transformar a face da escola, tal como a conhecemos. Uma escola mais em sintonia com a cultura que as tecnologias digitais vieram proporcionar e que, em sociedade, já começámos a vislumbrar e a experienciar.

Que papel poderá ter a escola na formação dessa sociedade e dos indivíduos que a compõem? Que mudanças ocorrerão numa escola que pretende ter um papel activo nesse processo?

Pensar as tecnologias numa lógica transformadora das práticas atuais significa em primeiro lugar a decisão profissional, individual, de querer mudar em direção a um modelo em que seja assumida a centralidade do aluno, ou seja, do que o aluno é chamado a fazer, e não do que é feito para ele.
Estamos, assim, na presença de uma concepção em que não se visa apenas a substituição dos meios tradicionalmente usados para ensinar e aprender, mas, sobretudo, perante uma perspetiva em que se ambiciona a descoberta de novas e diferentes formas de fazer as coisas, preparando os jovens para eles próprios poderem vir a contribuir para a inovação na resolução dos problemas com que se irão confrontar no futuro.

capa livro

 

Tese de doutoramento

Costa, F. (2008). A utilização das TIC em contexto educativo. Representações e práticas de professores. Tese de doutoramento em Ciências da Educação. Especialidade de Avaliação e Desenvolvimento Curricular. Lisboa: Universidade de Lisboa.

Resumo:
Partindo da constatação dos baixos índices de utilização de software educativo e de outros recursos informáticos existentes nas escolas portuguesas, e de que a formação de professores, como tem vindo a ser realizada, é desadequada ao objectivo de preparar convenientemente os professores para o uso das TIC, o estudo aqui apresentado teve como principal finalidade identificar estratégias de trabalho que pudessem contribuir para esse objectivo. Na prática, foi possível implementar uma proposta de formação concebida com base na literatura sobre a problemática das tecnologias em contexto educativo, sobre os factores que facilitam ou inibem a sua adopção, nomeadamente enquanto factor de inovação curricular, e sobre práticas de preparação de professores para ensinarem com tecnologias. Uma proposta assente na convicção de que é absolutamente decisivo o recurso a estratégias que permitam a modificação de atitudes face às novas tecnologias, através da tomada de consciência da importância, utilidade e potencial que essas tecnologias podem trazer ao processo de aprendizagem e de que a formação deve dedicar atenção especialmente ao modo como os professores adquirem o conhecimento sobre as tecnologias. A análise das representações dos professores relativamente à adequação do programa de formação e das alterações percebidas ao nível das suas atitudes, das suas práticas e da confiança com que passaram a encarar, ou não, o uso dos computadores com os seus alunos e sobre os factores que condicionam o maior ou menor uso das tecnologias na escola em geral foi, do ponto de vista metodológico, o eixo central da investigação e a análise qualitativa o principal instrumento de análise de dados. Apesar de algumas limitações inerentes ao estudo, dada a considerável complexidade e multiplicidade de factores envolvidos, concluímos com a apresentação de um conjunto de pistas para o desenho de projectos futuros que visem a preparação dos professores para a integração das TIC nos processos de ensino e de aprendizagem.

Leia na íntegra:

partilhar Com... Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Google+