Publicações

Lista de publicações realizadas no âmbito das atividades do projecto:

  • COSTA, Fernando; CRUZ, Elisabete; VIANA, Joana; BRITO, Rita & RODRIGUEZ, Carla (2015). Conceções e Expectativas de Professores e Educadores de Infância a Propósito do Conceito de Escola Digital. In M.J.Gomes, A. Osório & J. Valente (Eds.), Actas da IX Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação, Challenges 2015 Meio Século de TIC na Educação. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. 1211-1225.

    Resumo
    :
    A questão da adoção das tecnologias digitais na Escola e as transformações ao nível das práticas por elas induzidas, é uma problemática em que intervêm dimensões cuja análise e articulação tanto podem ser equacionadas ao nível macro, como ao nível do que se passa e pode ser feito em cada escola em concreto. Neste texto centramo-nos no estudo de uma dessas dimensões – os professores e educadores de infância -, mais propriamente no que esses agentes pensam enquanto principais executores do currículo. Utilizámos como procedimento metodológico a análise de conteúdo das respostas a três questões abertas de um questionário com o objetivo de conhecer as suas representações sobre o que é ou poderá ser uma “escola digital”. Os resultados sugerem, em síntese, que o conjunto de docentes auscultados idealiza uma escola que utiliza ferramentas digitais para enriquecer (e personalizar) a aprendizagem, para o que afirmam necessitar sobretudo de adquirir competências técnico-didático-pedagógicas necessárias à integração propriamente dita das tecnologias nos processos de ensino e de aprendizagem dentro da sala de aula.
  • VIANA, Joana, BRANCO, Eloísa & COSTA, Fernando (2014). Que tecnologias digitais têm e usam as crianças entre 7 e 13 anos de uma escola de Lisboa? In Atas do III Congresso Internacional TIC e Educação. Educação Online. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

    Resumo
    :
    O estudo aqui apresentado faz parte de uma investigação mais ampla que assenta na ideia de que as tecnologias digitais incorporam um elevado potencial transformador das práticas atuais de professores e educadores, nomeadamente se reunidas determinadas condições, como a vontade de explorar o que de mais desafiador pode ser feito com recurso a essas mesmas tecnologias, sendo para isso de capital importância o conhecimento que possam ter sobre a “cultura digital” dos alunos com quem trabalham. Nesse sentido, foi possível fazer uma recolha sistemática, através de questionário, junto das crianças dos 7 aos 13 anos de uma escola da cidade de Lisboa, num total de 420 alunos, sobre que tecnologias digitais utilizam e o que fazem com elas. Os resultados preliminares mostram que o computador e o tablet são as tecnologias digitais mais usadas, principalmente para a realização dos trabalhos escolares, jogar e ver filmes e que é maior a sua utilização fora da escola, sendo que a maioria refere não usar tecnologias digitais em contexto de sala de aula, sendo isso mais acentuado no caso dos alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico.
  • COSTA, Fernando; RODRIGUEZ, Carla; CRUZ, Elisabete; SANTOS, Cátia; GOMES, Nádia; VIANA, Joana; PERALTA, Helena; BRANCO, Eloísa & FRADÃO, Sandra (2013). A Caminho de uma Escola Digital. [Edição em CD-Rom]. In M.J.Gomes, A. Osório, A. Ramos, B. Silva & J. Valente (Eds.), Actas da VIII Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação, Challenges 2013. Aprender a qualquer hora e em qualquer lugar. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. pp. 447-463.
    Resumo
    :
    Neste texto apresenta-se o resultado da primeira fase de caracterização dos professores de uma escola em que se iniciou um processo de reflexão partilhado com vista ao desenvolvimento de uma cultura digital no quotidiano da comunidade escolar. Muito embora se assuma que se trata de um processo de transformação que envolve diferentes dimensões e, nesta fase de diagnóstico, outros sujeitos e áreas de intervenção tenham sido objeto de análise, escolhemos abordar aqui a variável “professores” por nos parecer ser um dos pilares determinantes de qualquer processo de transformação dentro da instituição escolar. Foram realizadas sete entrevistas de grupo abrangendo um total de 53 professores e educadores, ou seja, cerca de metade do corpo docente da escola. De acordo com os objetivos do estudo e o respetivo guião, a análise de conteúdo das transcrições das entrevistas teve como principal objetivo captar, quer as percepções dos professores e educadores, quer o que eles já fazem com recurso às tecnologias digitais na escola. Os resultados aqui apresentados confirmam a ideia de que, do ponto de vista profissional, os professores recorrem às tecnologias principalmente para a preparação das aulas, embora no caso desta escola, o façam com regularidade também para apoiar a exposição da matéria aos alunos. Os professores denotam estar à vontade sobretudo com as ferramentas de produtividade, mas também com as ferramentas de acesso à informação e de comunicação através da Internet, que usam tanto para fins pessoais como para preparar as suas aulas.
    Palavras-chave: Cultura digital, processo de transformação, mudança, professores