A formação de professores na área das TIC em Portugal


Parabéns, Helena, pelo excelente trabalho desenvolvido sobre a qualidade da formação que é feita em Portugal na área das Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação.

FELIZARDO, Helena (2019). A formação contínua de professores em TIC: que perfil de formador? Doutoramento em Educação na área de Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação. Instituto de Educação. Universidade de Lisboa.

LIDIA em Inglês

Com o apoio da EPALE e ANQEP (coordenador nacional) acaba de ser publicada a tradução do Livro de Atividades para Inclusão Digital de Adultos para a língua inglesa, permitindo assim alargar a sua divulgação a uma escala mais alargada.

Para a paginação desta nova edição, contámos também com fundos nacionais da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, IP, através da Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Educação e Formação do Instituto de Educação, Universidade de Lisboa – UID/CED/04107/2016.

Por cortesia da empresa SensesLab, foi possível utilizar o design da versão original, criação de João Casaca.

Para a paginação desta nova edição, contámos também com fundos nacionais da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, IP, através da Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Educação e Formação do Instituto de Educação, Universidade de Lisboa – UID/CED/04107/2016.

Por cortesia da empresa SensesLab, foi possível utilizar o design da versão original, criação de João Casaca.

Trabalhar a literacia digital com adultos

A Revista Aprender ao Longo da Vida, uma publicação da Associação O Direito de Aprender, acaba de publicar e disponibilizar online o seu último número (nº 15), dedicado à Literacia Digital. Num dossier temático sobre Literacia Digital, o Projeto LIDIA esteve no centro do debate sobre o que é trabalhar a literacia digital com adultos. Para além do coordenador do Projeto, participaram ainda Hélder Touças, do Programa para a Inclusão e Literacia Digital da Câmara Municipal de Lisboa, e Márcia Vigário, técnica da Associação Filantrópica da Torreira – ASFITA, ambos intervenientes ativos no processo de desenvolvimento das atividades que constam do Livro produzido no seio do Projeto LIDIA.

Casa cheia

Auditório da Escola Superior de Educação de Bragança quase repleto de estudantes interessados em ouvir a história do Projeto LIDIA. Foi também a oportunidade de divulgar a Biblioteca de Atividades Online, um recurso que pode ser de grande utilidade para estes futuros professores.

Comunicações do ticEDUCA2010

Disponíveis para consulta os RESUMOS de Conferências, Simpósios, Posters e Projectos de Doutoramento, bem como os textos completos das COMUNICAÇÕES apresentadas durante o I Encontro Internacional TIC e Educação, em 2010.

Para citar:

COSTA, Fernando; MIRANDA, Guilhermina; MATOS, João; CHAGAS, Isabel & CRUZ, Elisabete (Orgs.) (2010). Actas do I Encontro Internacional TIC e Educação. Inovação Curricular com TIC [Edição em CD-Rom]. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Em boa companhia…

Não abordando diretamente o tema para que o título do livro nos remete, não deixa de ser importante o capítulo com que participámos nesta pertinente obra. obrigado, Rita, pelo convite.img_3639

Desenho de mooc

Acaba de ser publicada a obra em que tivemos oportunidade de publicar um texto sobre o desenho de cursos MOOC.

Costa, F., Moura Santos, A., Silva, A. & Viana, J. (2015). Guiões para desenho de cursos mooc. In MEC. Experiências de Inovação Didática no Ensino Superior. Lisboa: MEC. 327-342. novo

Resumo: Desde o seu aparecimento, há cerca de uma dezena de anos, os Massive Open Online Course (MOOC) têm vindo a gerar um interesse considerável no ensino superior a nível mundial, tornando-se fundamental refletir, tanto do ponto de vista pedagógico, como do ponto de vista tecnológico e mesmo dos conteúdos abordados, sobre os procedimentos envolvidos na sua conceção e desenvolvimento. É nesse âmbito que se apresenta o presente trabalho, parte integrante de um projeto de levantamento de boas práticas e de linhas de ação para o desenho, planeamento e produção de MOOC no contexto do ensino superior em Portugal na área de Science, Technology, Engineering, Mathematics (STEM). O principal objetivo é sistematizar princípios orientadores do desenho e da produção de MOOC, com base na reflexão e no trabalho prático que tivemos oportunidade de fazer visando a criação de modelos de guiões para este tipo de cursos, incluindo a elaboração de orientações para a produção de cada uma das suas partes constituintes.

E se os conceitos estiverem trocados?

Um relatório que importa ler atentamente e, sobretudo, criticamente no que se refere aos números apresentados relativamente ao acesso dos alunos a computadores nas escolas em Portugal. Como diria um amigo meu, comecemos por definir “ACESSO”…

TIC: Pais vs Professores

Portugal entre os países que mais importância dá à utilização das TIC nas escolas?

A utilização da tecnologia nas escolas pode ser importante para ajudar a melhorar o futuro profissional dos jovens? 85% dos pais portugueses acreditam que sim.

Mais dados para pensar no assunto no SAPOTEK

Guiões MOOC

GUIÕES PARA DESENHO DE CURSOS MOOC

Fernando Albuquerque Costa (Instituto de Educação, ULisboa)
Ana Moura Santos (Instituto Superior Técnico, ULisboa)
Alexandre Guedes da Silva (FCHS, Universidade Lusíada de Lisboa)
Joana Viana (Instituto de Educação, ULisboa)

Resumo: Desde o seu aparecimento, há cerca de uma dezena de anos, os Massive Open Online Course (MOOC) têm vindo a gerar um interesse considerável no ensino superior a nível mundial, tornando-se fundamental refletir, tanto do ponto de vista pedagógico, como do ponto de vista tecnológico e mesmo dos conteúdos abordados, sobre os procedimentos envolvidos na sua conceção e desenvolvimento. É nesse âmbito que se apresenta o presente trabalho, parte integrante de um projeto de levantamento de boas práticas e de linhas de ação para o desenho, planeamento e produção de MOOC no contexto do ensino superior em Portugal na área de Science, Technology, Engineering, Mathematics (STEM). O principal objetivo é sistematizar princípios orientadores do desenho e da produção de MOOC, com base na reflexão e no trabalho prático que tivemos oportunidade de fazer visando a criação de modelos de guiões para este tipo de cursos, incluindo a elaboração de orientações para a produção de cada uma das suas partes constituintes.

Palavras-chave: elearning; MOOC; conteúdos educativos digitais; desenho e produção de MOOC.

 

O caminho faz-se devagar…

O caminho faz-se devagar…
(em breve, numa revista perto de si!)

Tratando-se de um convite do Eng. Etelberto Costa, sem dúvida um dos especialistas em e-Learning mais entusiastas no nosso país, não poderia deixar de responder com o meu testemunho sobre o caminho percorrido desde que, em finais dos anos 90, mergulhámos neste mundo novo que representam as tecnologias ao serviço de fins educativos.

Dada a limitação do espaço, ficar-me-ei por relembrar alguns dos momentos mais marcantes do ponto de vista pessoal.

São eles: a escrita de um artigo já diretamente relacionado com o tema do e-learning (1999); a integração da equipa que lançou a Academia Global, um grande projeto pioneiro em Portugal, mas que viria algum tempo mais tarde a ser vítima da chamada “bolha tecnológica” (2000) ; a realização de um curso de especialização nos EUA sobre Skills for eTrainers dirigido pelo maior guru a nível mundial nessa época – Elliot Masie (2000); a visita ao MASIE Center Learning Lab, um edifício construído de raiz para se dedicar integralmente à investigação sobre e-Learning (2000); a criação de uma unidade curricular dedicada ao estudo de Estratégias de Formação Síncrona no curso de mestrado presencial recém criado na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação – Mestrado em Tecnologias em Educação (2004); a criação e orientação de vários Cursos de Verão na Universidade de Lisboa sobre a temática do e-Learning destinado a profissionais de diferentes áreas (2004-2005); a coordenação do Ensino a Distância para a Itinerância, um projeto do Ministério da Educação para filhos de trabalhadores itinerantes poderem fazer a escolaridade do 5º ao 12º anos em Portugal (2010-2013); a escrita de um capítulo de livro, desta feita apresentando e refletindo sobre a experiência enquanto e-Professor de uma unidade curricular totalmente a distância no mestrado de TIC e Educação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (2012).

Apenas alguns flashes de uma já longa caminhada, mas em que permanece a sensação de estar tudo por fazer…

challenges

TACCLEvfinal

COSTA, Fernando;  CRUZ, Elisabete & RODRIGUEZ, Carla (2015). TACCLE2 – Propostas de Atividades Didáticas Com Tecnologias Digitais. In M.J.Gomes, A. Osório & J. Valente (Eds.), Actas da IX Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação, Challenges 2015. Meio Século de TIC na Educação. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. 1062-1067.

TIC e Formação Inicial

A formação e prática docente, no que concerne ao uso das Tecnologias de Informação (TIC), é a contribuição de Costa, Cruz, Rodriguez e Viana, no sexto capítulo desta obra. Os autores nos mostram algumas das diferenças entre o panorama brasileiro e o português, com relação às competências docentes em TIC, argumentando em favor de uma formação que alinhe o uso das tecnologias ao comportamento ético e transformador.

COSTA, F., CRUZ, E., RODRIGUEZ, C. & VIANA, J. (2015). As TIC na formação inicial de professores em Portugal e no Brasil: desafios e possibilidades. In C. Rocha, D. Braga & R. Caldas (Orgs.). Políticas linguísticas, ensino de línguas e formação docente: desafios em tempos de globalização e internacionalização. Campinas, Brasil: Pontes. 129-154.

Disseminação nas Artes

Um workshop para professores oriundos de toda a Europa, em que as atividades com tecnologias para a área das artes desenvolvidas no âmbito do projeto TACCLE2 tentarão superar mais uma prova. A ver o que dizem os professores de artes, potenciais interessados nas propostas sugeridas no livro.

IMG_1865.PNGLá estaremos, disseminando o livro das artes que a equipa portuguesa coordenou!

Antes de férias!

Atividades Com Tecnologias para a área das Humanidades
Já está disponível a versão em Português! O livro sairá da gráfica em setembro, mas pode desde já consultar as atividades propostas e, assim, preparar o novo ano escolar envolvendo os alunos Com tecnologias!

Humanidades

Todos os livros produzidos no âmbito do Projeto TACCLE2 são recursos abertos licenciados sob uma Licença Creative Commons e Sharealike, para uso não-comercial. Portanto, é possível copiar, adaptar, traduzir e redistribuir os livros ou qualquer parte deles (e realmente esperamos que o faça!). Basta referir a autoria.

Partilhe!

 

DOI

Aqui fica um marco digital para que possam referenciar e divulgar junto de quem se interessa por estas coisas de perceber como será uma “escola digital”.
Basta clicar no DOI: 10.1109/CICEM.2013.6820188

E para quem quer saber mais sobre o DOI, esta excelente ferramenta…

Para os mais novos

 

Eis a primeira versão, em inglês,  do Livro TACCLE2 para Educadores e Professores do 1º CicloUm conjunto de sugestões e propostas para usar a tecnologia para melhorar o ensino e aprendizagem em sala de aula. Um livro voltado para os professores e educadores motivados para o uso das tecnologias digitais e que precisam de ajuda especializada de quem já experimentou no terreno o potencial dessas mesmas tecnologias com os alunos.

Em breve disponibilizaremos a tradução e adaptação que fizemos para o contexto nacional.

As atividades com tecnologias propostas no projeto TACCLE2 para as idades mais novas são atividades muito simples, mas que permitem que as crianças se familiarizem com ferramentas muito específicas para cada objetivo em concreto. Eis o exemplo de uma sopa de adjetivos

Wordle: adjetivos

 

ENCONTRO VIRTUAL DE EDUCAÇÃO

Mais uma oportunidade para partilhar as nossas ideias sobre as tecnologias na escola e sobre a formação de professores. Desta feita, no encontro promovido pelo II ENLECE – Linha de Pesquisa Educação, Currículo e Ensino da UFC – Universidade Federal do Ceará. Debate sobre Currículo, Conhecimento, Subjetividade e Cultura  – 28/4/2014 – 2a – 20h-22h (GMT -3).

Cenários de inovação

20131106-004934.jpg

Acaba de ser publicada a obra “Cenários de inovação para a educação na sociedade digital” em que tive o prazer em colaborar. Já se encontra disponível no site da editora: www.loyola.com.br, onde pode espreitar “dentro do livro”.

Este livro é fruto do diálogo profícuo entre estudiosos sobre o tema das tecnologias de informação e comunicação (TIC) na educação. Os organizadores trazem diversos autores convidados do Brasil e de Portugal que, ao longo dos últimos 25 anos, trabalham intensamente com o tema, envolvendo-se com a investigação, a formação de professores, a gestão e a avaliação de projetos e políticas públicos de integração e dinamização da utilização educacional das tecnologias de informação e comunicação nos cenários de aprendizagem.
O eixo articulador desta obra são as perspectivas de inovação em educação com o uso das TIC. Ela está organizada em dez capítulos, sendo seis de autores do Brasil e quatro de Portugal, ao longo dos quais é desenvolvida a temática da inovação em educação a partir da reflexão sobre os conceitos, os modelos e as práticas de mudança e inovação nos cenários emergentes da educação na sociedade digital.

Media in Education

media education

Media in Education: Results from the 2011 ICEM and SIIE Joint Conference (2013).
With the aim of discussing old and new teaching technologies, based on research and on the strategies and praxis of the use of technologies and methodologies in the different teaching levels, and also embracing the contribution and active participation of researchers, teachers, creators, managers and other specialists, the work will provide inputs on the following topics:

  • Students’ perspectives on media in the classroom
  • Students and media (as content and as tools for learning)
  • Educational Media Design
  • Institutional Impact of the integration of Educational Media
  • Old v. New Media: what really matters?
  • Research and Evaluation
  • Personal and/or social learning environments/networks
  • Media and inclusion
  • Media and informal learning
  • Immersive learning environments
  • Virtual mobility in Education
  • Mobile learning
  • Media and literacies

In the chapter 3 you can read my own contribution:

COSTA, Fernando (2013). Designing Educational Multimedia Resources. In A. Moreira et al (Eds.). Media in Education: Results from the 2011 ICEM and SIIE Joint Conference. New York: Springer Science+Business Media. 29-40.