Mais um ano com as tecnologias nas mãos dos miúdos!

Mais um encontro dos professores do Projeto Aprender Digital Amadora [1º.Ciclo], desta feita a culminar mais um ano de trabalho no terreno, em que os mais pequenos puderam usar as ferramentas digitais no contexto das suas atividades letivas.

 

Na imagem, a sessão de abertura do encontro. Um encontro que contou também com diferentes especialistas nacionais na área da utilização do digital pelos mais pequenos e em que estiveram presentes cerca de centena e meia de professores e educadores do concelho.

Alunos do 2.º ano em gravações

Os alunos do 2.º ano da licenciatura em educação e formação, do IEUL, a gravar os seus vídeos sobre as atividades do Projeto LIDIA. Aprender com atividades autênticas com a Prof. Joana Viana.

Moodle Cloud

Novas experiências de formação em um Moodle de cara lavada. Um Moodle na nuvem e muito mais agradável visualmente.

Aula Online


Eis o aspeto de uma aula virtual com vídeo em que se percebe a interação, em tempo real, que hoje a largura de banda permite fazer já com bastante qualidade e que acaba por ser essencial na comunicação entre professor e estudantes e entre os próprios estudantes.

Já em 2004 recorríamos, experimentalmente, a esta estratégia de comunicação, na altura através da plataforma Centra.

Mesa Redonda Prácticum 

Resumo:
Esta participação na segunda mesa redonda do encontro, teve como objetivo apresentar e refletir sobre os principais eixos estruturantes do modelo instituído na licenciatura em Educação e Formação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa como estratégia de preparação dos futuros licenciados em educação e formação, enquanto especialistas preparados para intervir, de forma multifacetada e competente, em diferentes contextos educativos e formativos. Constituído por seis seminários semestrais, com um total de 47,5 ECTS, é um modelo em que os estudantes têm a oportunidade de vivenciar e experienciar, de forma progressiva e ao longo do plano de estudos, as diferentes valências de uma preparação que integra, em simultâneo, a aplicação dos conhecimentos teóricos adquiridos no curso e o conhecimento direto de atores e contextos de intervenção.

A propósito, aqui fica uma apresentação muito recente e muito clara sobre a Licenciatura em Educação e Formação oferecida pelo Instituto de Educação da Lisboa.

Em Mortágua

Salas de Aula do Futuro, o tema das Ias Jornadas Pedagógicas. Mais uma oportunidade para conversar com professores interessados e motivados para o uso de tecnologias nas suas práticas.

Qualitativa na U Aveiro

Mais um sessão de trabalho de análise de dados qualitativos com estudantes de doutoramento, desta feita na Universidade de Aveiro, oriundos de Portugal, Brasil e Moçambique.

Concentração

O trabalho de análise de dados qualitativos é sobretudo um trabalho intelectual, muito exigente, em que uma forte concentração é crucial. Adorei o profissionalismo das estudantes de doutoramento da U Minho com quem trabalhei esta tarde.

LiRe 2.0

Promover comunidades de leitura com recurso a tecnologias Web 2.0 e formar leitores para a vida e da era digital…logo

LifeLong Readers 2.0, um projeto europeu em cujo contexto apresentei o trabalho desenvolvido no Projeto LIDIA, também ele dedicado à promoção das competências digitais ao longo da vida.

O Seminário “Literacia Digital: Aprender e ensinar digital” realizou-se em Castelo Branco, na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco, no dia 19 de novembro de 2016, a convite do Professor Doutor Henrique Gil, um dos representantes portugueses no Projeto LiRe 2.0.

Girona, emociona :)

Nada melhor para retomar o trabalho académico que viajar até uma bonita cidade catalã para participar num ‘tribunal’ do Programa Serra Hunter.

img_3625-1-1

à volta de PLE

Explorando o conceito de ambiente pessoal de aprendizagem no contexto do ensino superior: estratégias de trabalho e resultados, dia 20 de abril, entre as 15h00 e as 18h00, na Sala do Senado, Edifício Central da Reitoria, UA.

A sessão dinamizada por Fernando Albuquerque Costa, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, insere-se nas ações a realizar no âmbito do Projeto FICA, que está a ser desenvolvido na Universidade de Aveiro e que tem como objetivo geral contribuir para a melhoria do sucesso académico e a diminuição do abandono escolar.

Pretendemos nesta sessão promover um espaço de discussão e debate à volta do conceito de ambiente pessoal de aprendizagem, e como este poderá ser explorado em contexto do ensino superior.

A sessão é aberta a todos os docentes, diretores de curso e outros membros da comunidade interessados em contribuir para a melhoria da qualidade da formação na UA

Reflexões gratificantes…

Uma de muitas reflexões de uma aluna sobre o trabalho que fazemos na Licenciatura em Educação e Formação, logo no 1º ano, com jovens de 18 ou 19 anos e que nos dão grande satisfação. Sobretudo pelo que tem sido a nossa abordagem ao longo dos anos, desde 1996, com uma metodologia assente nos mesmos princípios científicos e pedagógicos fundadores, independentemente das ferramentas usadas.

Unidade Curricular: Tecnologias da Educação e da Formação – Licenciatura em Educação e Formação – 1ºano 1º semestre – Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

Continuar a ler “Reflexões gratificantes…”

Sessão síncrona

relembrando a prática de sessões síncronas com os estudantes do Mestrado em Ciências da Educação, especialidade de Tecnologias Educativas, há já dez anos atrás…

Recomeçando…

Ora aí está algo interessante para ajudar a recomeçar, cortesia do Carlos Sanches, em A Rede Educa:

“Conhecer o humano não é separá-lo do universo, mas situá-lo nele. Todo conhecimento, para ser pertinente, deve contextualizar seu objeto. ‘Quem somos nós?’ é inseparável de ‘Onde estamos, de onde viemos, para onde vamos?’”
(Do livro A cabeça bem-feita, de Edgar Morin)

Ou a cortesia do Nelson Pretto, com uma sempre divertida recriação.

challenges

TACCLEvfinal

COSTA, Fernando;  CRUZ, Elisabete & RODRIGUEZ, Carla (2015). TACCLE2 – Propostas de Atividades Didáticas Com Tecnologias Digitais. In M.J.Gomes, A. Osório & J. Valente (Eds.), Actas da IX Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação, Challenges 2015. Meio Século de TIC na Educação. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. 1062-1067.

as narrativas digitais dos alunos

Não é costume dar aqui conta de trabalhos dos alunos da licenciatura, sobretudo por se tratar de trabalhos com fins académicos, mas estes dois têm um gosto especial, pois denotam o forte envolvimento dos seus autores para com a licenciatura que abraçaram. Mesmo com os problemas técnicos que muito parecem ter afetado alguns.

Bancos da escola

É sempre bom relembrar o que é estar do outro lado. Desta vez pela mão do meu colega e amigo Pedro Reis. Sobre matérias sobre as quais tenho muitas dúvidas…

20140108-162223.jpg

Práticas de qualidade

PraticasQualidade

Seminário “Práticas de Qualidade: Resultados no Ensino Superior”. Estaremos lá apresentando o trabalho que temos feito, desde há alguns anos a esta parte, em especial nas nossas disciplinas de licenciatura e de mestrado.

Nome da prática: escol@21 – aprender em ambiente personalizadoDescrição: Estudo sobre o modo como um grupo de estudantes de licenciatura percepcionou o trabalho autónomo desenvolvido na gestão dos seus próprios espaços individuais de aprendizagem a partir da Escola 2.0, um espaço de trabalho online, aberto, de suporte à actividade desenvolvida pelos estudantes no âmbito de algumas unidades curriculares de licenciatura, mestrado e doutoramento do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.