Arquivo da categoria: Escola

Susana Capitão

(2015) Provas de Susana Maria Capitão da Silva Alves. Participação parental – papel da web social numa comunidade educativa com surdos. Universidade de Aveiro. Aveiro. Doutoramento em Multimédia e Educação, orientado por Margarida Almeida (Departamento de Comunicação e Arte) e por Rui Marques Vieira (Departamento de Educação). 

 

escola digital ainda

COSTA, Fernando; CRUZ, Elisabete; VIANA, Joana; BRITO, Rita & RODRIGUEZ, Carla (2015). Conceções e Expectativas de Professores eEducadores de Infância a Propósito do Conceito de Escola Digital. In M.J.Gomes, A. Osório & J. Valente (Eds.), Actas da IX Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação, Challenges 2015. Meio Século de TIC na Educação. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. 1211-1225.

challenges

TACCLEvfinal

COSTA, Fernando;  CRUZ, Elisabete & RODRIGUEZ, Carla (2015). TACCLE2 – Propostas de Atividades Didáticas Com Tecnologias Digitais. In M.J.Gomes, A. Osório & J. Valente (Eds.), Actas da IX Conferência Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação, Challenges 2015. Meio Século de TIC na Educação. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. 1062-1067.

Na Eça de Queirós, Olivais

tea

3as com TEA é uma iniciativa do projeto TEA: Tablets no Ensino e Aprendizagem, “um ciclo de sessões informais, que versam matérias ligadas à utilização educativa das tecnologias digitais, em geral, e das tecnologias móveis, em particular”. Lá estarei, para mais uma conversa informal com professores e educadores no próximo dia 21 de abril, no Auditório 2 da Escola Secundária Eça de Queirós, das 17h30 às 19h00.

Em Tomar

Comunicação: O Currículo e o Desafio das Tecnologias Digitais

Nunca como hoje foi tão pertinente colocar no centro da discussão a relação entre Currículo e Tecnologias. Ou seja, a relação entre a necessidade sentida de novos e mais estimulantes ambientes de aprendizagem e o potencial das tecnologias digitais para fazer e aprender de modo diferente, nomeadamente ao nível da comunicação e expressão de ideias, mas também em termos de acesso à informação e ao conhecimento. O que significa essa relação para a comunidade educativa em geral e, em particular, para quem tem a responsabilidade de decidir o que em cada momento é feito em contexto de aula, é o que no âmbito desta sessão se propõe para reflexão.

Se, do ponto de vista curricular, não mais faz sentido a adopção de modelos de organização e de construção do currículo centrados nos conteúdos e na sua transmissão pelo professor, pelo manual escolar ou mesmo por recursos tecnologicamente mais evoluídos, o desafio será precisamente o de conseguir tirar partido do potencial das novas tecnologias para criar oportunidades de aprendizagem mais sugestivas, desafiadoras e consonantes com paradigmas em que se privilegia a acção de cada um, a interacção com o outro, a criação colaborativa, mas também o acesso direto às fontes, a materiais autênticos, a especialistas, enfim, ao conhecimento na sua forma mais genuína.

  • Que mudanças do ponto de vista metodológico terão de verificar-se nos processos de ensinar e de aprender?
  • Que competências deverão ter professores e educadores para o poderem fazer com sucesso?
  • Que recursos tecnológicos é necessário desenvolver para sustentar e permitir a adopção daqules novos paradigmas?

Eis algumas das questões que podem colocar-se como estímulo à reflexão e à discussão no âmbito deste painel. 

Questões e desafios

Um final de tarde bem passado, com a companhia da Prof. Teresa Leite, da ESE de Lisboa, falando de Currículo e Diferença. Neste encontro, aproveitei para dar início à disseminação dos livros com atividades produzidos no Projeto TACCLE2, tendo oferecido uma coleção aos responsáveis de cada um dos agrupamentos presentes (D. Sancho I e Marcelino Mesquita) para as respetivas bibliotecas escolares.

aprender a programar

HoraDoCódigo14 - PosterPA Hora do Código é uma hora de introdução à Ciência da Computação, com o propósito de desmistificar a programação e mostrar que qualquer um é capaz de aprender as bases. A iniciativa pretende sublinhar que todos nós deveríamos ter a oportunidade de aprender Ciências da Computação na Escola, pois promove o desenvolvimento da capacidade de resolução de problemas, a lógica e a criatividade. Trata-se de um movimento global, que envolve dezenas de milhões de pessoas em mais de 180 países (hourofcode.com). A Hora do Código é organizada pela Code.org, uma entidade sem fins lucrativos dedicada à expansão e disseminação das ciências da computação, com a colaboração de parceiros internacionais como é o caso da Apple, Microsoft, Amazon, entre outros.

Continuar a ler aprender a programar

Antes de férias!

Atividades Com Tecnologias para a área das Humanidades
Já está disponível a versão em Português! O livro sairá da gráfica em setembro, mas pode desde já consultar as atividades propostas e, assim, preparar o novo ano escolar envolvendo os alunos Com tecnologias!

Humanidades

Todos os livros produzidos no âmbito do Projeto TACCLE2 são recursos abertos licenciados sob uma Licença Creative Commons e Sharealike, para uso não-comercial. Portanto, é possível copiar, adaptar, traduzir e redistribuir os livros ou qualquer parte deles (e realmente esperamos que o faça!). Basta referir a autoria.

Partilhe!

 

Histórias criativas!


Foi uma manhã muito produtiva e muito divertida!  Em primeiro lugar queremos dar os parabéns a todos os estudantes que estiveram na atividade Aprender Tecnologia, realizada no Instituto de Educação, no âmbito do Verão na ULisboa’14. Aqui fica a lista das histórias produzidas em apenas cerca de duas horas e meia:

  • A minha Arte
  • 1ª Semana no Verão ULisboa’14
  • Uma viagem a Barcelona
  • Ciências ou Artes?
  • Mission Impossible
  • Um Laboratório ao ar livre
  • Três Pandas e um Obama
  • Viagem pela Europa
  • Manas Silvas

Quem quiser espreitar, pode fazê-lo em: https://www.youtube.com/user/teieul
Fazemos votos para que continuem a divertir-se muito a aprender!

Leitura e Digital

20140701-165259-60779212.jpg
Na Biblioteca Municipal de Alcobaça, numa mesa redonda com a Teresa Pessoa, sobre Leitura e Digital, para professores bibliotecários da região. Um público muito interessado e participativo!!

Verão na ULisboa’14

Uma iniciativa em que participaremos, acolhendo jovens do Secundário, com um proposta de aprendizagem com tecnologias. Colaboram nesta atividade, como monitores, alguns alunos voluntários do 1º ano da Licenciatura em Ciências da Educação.

Título: Aprender Tecnologia
Público-alvo: Alunos do Ensino Secundário
Horário: 1ª semana, 5ª feira, 9:30-12:30H
Participantes: ± 20
Responsáveis: Fernando Albuquerque Costa e Joana Viana
Monitores: alunos da licenciatura em Ciências da Educação

Bora lá criar uma história digital?

Nesta atividade vamos mostrar-te o que os estudantes da Licenciatura em Ciências da Educação fazem nas aulas de tecnologias educativas com o computador e com algumas ferramentas digitais tuas conhecidas, como é o caso do Powerpoint ou do MovieMaker. Apesar de os seus conhecimentos informáticos não serem lá muito avançados, são capazes de fazer coisas muito interessantes e é também isso que gostaríamos que tu experimentasses durante esta manhã. Depois de veres e explorares alguns exemplos feitos por eles, o objetivo é seres tu próprio a construir uma história digital, com recurso a imagens e sons por ti recolhidos. Podes utilizar os equipamentos disponíveis ou até mesmo a câmara do teu telemóvel e de outros dispositivos móveis que nesse dia queiras trazer. A atividade terminará com a publicação das histórias no YouTube para poderem ser partilhadas e comentadas pelas pessoas que se interessam pelo que é feito nesta licenciatura. Como já deves saber, os estudantes de Ciências da Educação interessam-se pelas coisas que se passam na Escola e, como não poderia deixar de ser, interessam-se também pelo modo como as tecnologias digitais podem ajudar os professores a ensinar melhor e os alunos a aprender de forma mais interessante! Estamos certos que concordas que é um grande desafio e é precisamente para discutir isso que contamos contigo!

 

Repensar a escola…

Mais uma bela oportunidade para discutir algumas ideias sobre o papel das tecnologias digitais na escola, em particular, a questão que nos remete para a transformação do modo como se ensina e se aprende…

SessãoAlmada2014a

Muita gente, entusiasmo grande… ali para os lados de Almada.

Cenários de inovação

20131106-004934.jpg

Acaba de ser publicada a obra “Cenários de inovação para a educação na sociedade digital” em que tive o prazer em colaborar. Já se encontra disponível no site da editora: www.loyola.com.br, onde pode espreitar “dentro do livro”.

Este livro é fruto do diálogo profícuo entre estudiosos sobre o tema das tecnologias de informação e comunicação (TIC) na educação. Os organizadores trazem diversos autores convidados do Brasil e de Portugal que, ao longo dos últimos 25 anos, trabalham intensamente com o tema, envolvendo-se com a investigação, a formação de professores, a gestão e a avaliação de projetos e políticas públicos de integração e dinamização da utilização educacional das tecnologias de informação e comunicação nos cenários de aprendizagem.
O eixo articulador desta obra são as perspectivas de inovação em educação com o uso das TIC. Ela está organizada em dez capítulos, sendo seis de autores do Brasil e quatro de Portugal, ao longo dos quais é desenvolvida a temática da inovação em educação a partir da reflexão sobre os conceitos, os modelos e as práticas de mudança e inovação nos cenários emergentes da educação na sociedade digital.